Pub


Por Jornal i
publicado em 4 Dez 2009 - 03:00

Comprar Loja chinesa? Sim. Loja dos trezentos? Isso é que não
Resista à tentação, afaste-se dos centros comerciais e dedique-se a explorar os mercados de Natal. Chegou a época dos presentes e nalguns casos até pode ajudar o próximo enquanto avia o sapatinho

Tudo começou em Amesterdão, em 2005, com uma típica história "boy meets girl". Alexandre Campos, que faz carreira universitária em Biologia, agora com 36 anos, estava por lá, com uma bolsa de investigação. Na residência universitária, no mesmo corredor, vivia Qiao Qiao (leia-se Xau Xau, como o arroz), agora com 31 anos, a fazer um mestrado em Nutrição Humana. Apaixonaram-se e vieram juntos para Lisboa, onde casaram, em 2007. Em Abril de 2008, Alexandre foi colocado no Porto e mudaram-se. Foi então que surgiu a ideia de abrir esta loja especificamente chinesa, que inaugurou em Setembro passado.Qiao Qiao foi à China, fez contactos e voltou cheia de coisas. "Vivia cá e via muitas lojas chinesas. Quando regressei à China é que vi bem o contraste, porque a imagem que as pessoas têm da China, aqui, é muito diferente da minha", explica. "Então, durante o Ano Novo Chinês, em 2008, comecei a ter a ideia de trazer mais coisas originais da China." Qiao Qiao é de Chengdu/Sichuan, "a terra do grande panda". Algumas coisas vêm de lá, mas a maior parte dos contactos foram feitos em Pequim, onde "há mais hábitos culturais, mais moda, mais design".Na China Qiao, encontramos moda feminina chinesa: roupa (sobretudo de algodão e linho, com aplicações feitas em tear), mas também carteiras, bijuteria de prata e alguns objectos decorativos. Os preços podem oscilar entre os 30 e os 300 euros. O artesanato e a recuperação da tradição presidem ao conceito por detrás desta escolha. "É uma combinação. Os designers tentam manter o feeling tradicional e representá-lo num novo conceito. Tentam interpretar os símbolos chineses, como o lótus, as nuvens ou o peony, a flor nacional da China, que simboliza a prosperidade", afirma. "Estes produtos não são assim tão fashion. Mesmo na China, esta roupa não é tão massificada, é mais alternativa. A maior parte das roupas é de dois designers, que só têm lojas em Pequim e na minha terra. É bastante selectivo, as pessoas que gostam de ir à Zara não usariam este tipo de coisas."No que se refere a objectos decorativos, há crafts de rara beleza, como uns fios com macacos, para pendurar, baseados em várias figuras do zoodíaco chinês.




Pub


 

Pub

Pub

Pub

Pub













X
Introduza o seu endereço de e-mail.
Introduza a senha associada ao seu endereço de e-mail.
  • Sign in with Twitter
A carregar